quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Saga ao Rio pelos Torqeedos

Tudo começou com a premiação do segundo dia de prova, assim que nosso nome foi chamado para subir ao podium para receber a bandeira de terceiro lugar, Magrão nos fala pelo talkabout "canal verde". Esquecemos a premiação e pulamos e comemoramos a vinda dos "bebes".

Primeiro passo, alugar o carro para irmos ao Rio, comprido, fomos de celtão. Marilia e Rodiney desesperados, "CUIDADO COM O RIO DE JANEIRO", Marilia por ser paulista nos informou: "cuidado com a linha vermelha, vcs serão assaltados 25 vezes, ou mais". Enfim, depois das recomendações fomos (André, Danilo e Arthur).

O caminho de Paraty até o Rio é bem tranquilo, quase nao existem curvas na estrada, e Arthur quase nao tentou distrair o motorista com todas as atraçoes da estrada " usina nuclear, doido demais.. plataforma de petroleo, doido demais... olha essa vista, doido demais... ".

Chegando ao Rio, fomos assaltados 7 vezes logo na entrada, pela gangue do zé pequeno, pena nao termos ouvido marilia e rodney.

Na sequencia, sem errar o caminho em momento algum, afinal, era só seguir reto, chegamos ao Rio. O único erro de percurso foi achar o acesso à linha vermelha, ô cidade mal sinalizada. Falando nisso como diria André "adoro placas". Enfim, nos perdemos e chegamos no centro da cidade, entramos em uma rua para fazermos o retorno, pegamos a contramão e Arthur nos sugeriu: "Tá tranquilo, é só seguir reto nessa rua" nossa, seria meio qeu uma atitude de homem bomba, sei lá, alem de ser no sentido oposto ao que pretendiamos, nao era das ruas mais tranquilas.

Depois dessas aventuras, chegamos ao Galeão (depois de ser assaltados mais 37 vezes na linha vermelha), mais problema, a hora marcada para pegar os "bebes" era 22:30, chegamos às 23:00 e para surpresa de todos o envio saiu para o aeroporto errado e horario errado, só chegaria no dia seguinte às 7:10 no santos dumont.

Enfim, André ligou para o tio dele às 23:00 informando que estava no Rio pedindo abrigo para ele e para mais dois amigo, falando nisso (valeu tio e familia, Fau e primas). Prestativos nos abrigaram e no dia seguinte na hora certa estavamos no aeroporto e finalmente vimos os "bebes" pela primeira vez.

Noooooosssa, emoção total, todos choramos uns 30 minutos sem parar. Passado periodo emotivo, focamos em todas os acessorios do nosso bebezinho e no bebe em si. Já fizemos contato com o resto da equipe para informar que estávamos devidamente equipados.

E no caminho de volta, Arthur no volante, perigo constante, os dois motores de cinto segurança e o Danilo solto pulando e batendo a cabeça no banco de trás. Depois de pneu furado e roda torta nossos bebes estavam em paraty.

Madrugada a dentro ocorreu a instalaçao dos turbos em nossa maquina, o Vento Sul.

Resultado, em uma prova de apenas 6 milhas nauticas, Vento Sul na cabeça com 18 minutos de vantagem para o segundo colocado.



Danilo e André.

5 comentários:

Primavera disse...

Olá...
nossa ri muito com isso..rs
bem sou estágiaria do pólo Náutico..UFRJ
e venho parabeniza-los, pelas vitórias.
Bons Ventos, Juliette Rahal

Ronaldo disse...

Muito boa a história de vocês!E quanto a "neura" da Marília para com o Rio de Janeiro acho que tenho um pouco de culpa ... rsrsrs
Mas é sempre bom lembrar que precaução e canja de galinha não fazem mal a ninguém!!
Parabéns prá todos vocês!! Com esses novos motores não vai ter prá ninguém!!
Abraços a todos e beijocas prá Marília!!
Ronaldo

Amir disse...

Muito boa esta história da expedição aos Torqueedos. Isto quer dizer que vocês cruzaram o Cabo da Boa Esperança. Bom trabalho! Sigam em frente!
Abraços,
Amir.

Barco Solar disse...

Ronaldo, brilha muito no curíntias!

Alexandre disse...

Parabéns pela conquista do primeiro lugar!!
Postei no blog da ISES-BR a notícia que saiu hoje na Revista Náutica:
http://ises-do-brasil.blogspot.com/2009/10/desafio-solar-federais-sao-campeas-ufrj.html

Abraço,
Alexandre

Postar um comentário